Privatizar por quê?

11/15/2017
Posted in Artigos
11/15/2017 Assessoria Paulo Litro

Há praticamente duas décadas, ouvimos a expressão “privatizar” em cada novo de governo, seja ele federal ou estadual.

As privatizações não são apenas mérito deste ou daquele governo ou partido. Elas são algo que vão além disso. Fazem parte de um planejamento, de uma estratégia de Governo e também econômica.

Desde a era Collor, o primeiro a iniciar os processos de privatizações, esta prática tem sido adotada sistematicamente. E, desde então, a discussão do assunto é sempre polêmica. Vejo a privatização como uma boa saída para o momento de crise em que vivemos. Mas, se você pensa que apenas os governos ganham com isso, está enganado.

As estatais, de uma forma geral, recebem também dinheiro dos contribuintes. O meu, e o seu dinheiro, contribui em parte para o processo de fortificação dessas empresas. Faço aqui uma ressalva, que as referidas empresas obtêm lucro quando bem administradas, mas, quando servem para ocultar casos de corrupção, geram ainda mais gastos para a população.

O Brasil possui hoje 151 empresas estatais. No ano passado, elas nos custaram R$ 19,1 bilhões. Cada um de nós, contribuintes, pagamos R$ 92 reais. Até o final de 2017, pagaremos mais de R$ 15 milhões de reais.

Quando as estatais não possuem lucro, o governo, e nós, devemos cobrir seu déficit. Uma das raras exceções está aqui no Paraná, a Copel. A empresa foi a sexta companhia brasileira – a primeira do setor de energia elétrica do País a ter ações negociadas em Nova York, em 1997. Mostrando a sua saúde financeira, no País e fora dele.

Acredito que as forças do Estado, devem sempre estar voltadas para atender a população com serviços de qualidade e humanizados. Além disso, não são poucos os exemplos comprovando que livre da política, muitas empresas deixaram o déficit para encontrarem o superávit modernizando as gestões e, gerando emprego, renda e a contribuição de impostos

É por esse viés que defendo as concessões de algumas empresas. De maus exemplos de administração, o Brasil está cheio. Precisamos sim, encontrar boas práticas e apoia-las para podermos ver nosso país em seu lugar de destaque, que merece.

As privatizações podem contribuir enormemente para nós, contribuintes, para os empresários e, principalmente, para nos dar um alivio neste momento de crise que vive o Brasil.